Introdução

O Modelo CERNE na Gestão de Incubadoras

No início dos anos 2000, o movimento brasileiro de incubadoras de empresas vinha crescendo a uma taxa anual superior a 25%. Isso estava gerando um grande movimento de difusão do empreendedorismo e da inovação em todas as regiões do país, com grande capilaridade no interior dos estados.

Diante desse crescimento expressivo, a Anprotec, juntamente com instituições parceiras (Sebrae, CNPq, MCT, Finep, dentre outras), iniciou esforços para propiciar maior potencial de impacto do processo de incubação de empresas no país. Nesse sentido, foi desenvolvido um novo modelo de atuação com base em experiências bem-sucedidas nacional e internacionalmente e alinhado com as melhores práticas e tendências da fronteira da incubação.

Denominado Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos, o CERNE criou um modelo e um padrão de atuação, de forma a ampliar a capacidade das incubadoras em gerar, sistematicamente, empreendimentos inovadores bem-sucedidos. Com isso, criou-se uma base de referência para que as incubadoras de diferentes áreas e tamanhos pudessem utilizar elementos básicos para reduzir o nível de variabilidade na obtenção de sucesso das empresas apoiadas.

Até o momento, a Anprotec e o Sebrae já coordenaram o processo de implantação do CERNE em 76 incubadoras, seja no nível de maturidade1 ou 2. .

Dessa forma, torna-se importante avaliar o programa de implantação do modelo CERNE e verificar os resultados positivos e pontos de melhoria, além de analisar os efeitos no desenvolvimento local.

Também é relevante constituir e monitorar indicadores que demonstrem como os resultados das incubadoras certificadas evoluíram em comparação aos resultados daquelas não certificadas, com vistas a direcionar ações de melhoria e ampliação do CERNE com base em evidências empíricas.

Mantenha suas informações atualizadas em nosso cadastro

Clique no botão abaixo e preencha o formulário com os dados atualizados da incubadora e das empresas incubadas e graduadas. É necessário fazer login em sua conta Gmail para preenchimento.

Os impactos do Modelo CERNE na Gestão de Incubadoras

Para avaliar os impactos do Modelo CERNE na gestão de incubadoras, mediante construção de indicadores, a Anprotec e o Sebrae iniciam ampla pesquisa nacional. A instituição parceira para realização desse estudo será a FIA – Fundação Instituto de Administração.

Objetivos da Pesquisa

– Mensurar os impactos do Modelo CERNE na gestão de incubadoras, a partir de indicadores das incubadoras (certificadas ou não) e de empresas (incubadas e graduadas).

Relevância

Prospectar dados e mensurar os impactos do CERNE na gestão de incubadoras é uma ação fundamental para direcionar as ações da Anprotec e seus parceiros no ecossistema de inovação nacional. Afinal, a partir de evidências empíricas, será possível realizar uma leitura da realidade que inclui acertos e equívocos, o que poderá apontar caminhos mais interessantes para melhorias na certificação, as quais terão impactos, cada vez mais robustos, no desenvolvimento brasileiro.

Metodologia

A pesquisa de Impactos do Modelo CERNE na Gestão de Incubadoras será conduzida por meio de um survey com questionários autoaplicáveis destinados às incubadoras (certificadas ou não) e empresas (incubadas e graduadas).

O link para participar da pesquisa estará disponível em breve!