Segundo o dicionário Aurélio, a palavra incubadora é um substantivo feminino que:

  • Para a Biologia, é um recinto em laboratório com temperatura controlada para o cultivo de microrganismos e para facilitar determinados testes biológicos;
  • Para a Pediatria, é uma pequena câmara oxigenada, com temperatura e umidade controladas, para abrigar recém-nascidos, prematuros, que exigem cuidados particulares;
  • Para a Zootecnia, trata-se de uma chocadeira;

E, para a Wikipédia, a enciclopédia livre, uma incubadora de empresas é um projeto ou uma empresa que tem como objetivo a criação ou o desenvolvimento de pequenas empresas ou microempresas, apoiando-as nas primeiras etapas de suas vidas.

Nesse sentido, as incubadoras consolidadas consistem em projetos ou empresas que têm a função de criar e desenvolver novas pequenas empresas ou microempresas, auxiliando-as durante todas as etapas iniciais do processo, como também incubando projetos de pesquisa e desenvolvimento de grandes empresas.

As incubadoras consolidadas trazem inovação tecnológica aos empreendimentos, facilitando o acesso a instrumentos e ferramentas de produtividade. Incubadoras funcionam, principalmente, estimulando empreendimentos que oferecem serviços e produtos no mercado com algum grau de inovação. Portanto, quanto mais consolidada é a incubadora, maior é a chance de colaborar para expansão e o crescimento de uma empresa incubada.

Quando pensamos em desenvolvimento regional através de uma incubadora consolidada podemos afirmar que a incubadora é um instrumento essencial de um ecossistema que lidera o desenvolvimento através da participação da sociedade local no planejamento contínuo da ocupação do espaço e na distribuição dos frutos do processo de crescimento para deixarmos de ser somente mais um município para nos transformarmos em uma cidade empreendedora.

A incubadora consolidada e seus incubados/graduados demandam a incorporação de inovações, tecnológicas e gestão organizacionais (CERNE) com intuito de se tornarem um desenvolvimento sustentável a fim de garantir competitividade por longo prazo não somente para os empreendimentos, mas também para uma determinada região. Dessa forma, a capacidade de gerar e absorver inovações adquire grande importância para a competitividade de agentes econômicos devido às rápidas mudanças de mercado e tecnologias e nas formas organizacionais.

Para finalizar, precisamos, cada vez mais, trabalhar em redes colaborativas em prol do desenvolvimento sustentável de nossas regiões.